Skip to main content

Síndrome do Pânico: 5 sintomas que você precisa saber

Você já teve síndrome do pânico? ou conhece alguém que já passou por essa situação? Sabe o que fazer ou como identificar esse quadro? Continue com a gente e confira 5 sintomas mais frequentes que uma pessoa que está nessa situação pode apresentar.

Sabia que a síndrome do pânico mal tratada pode evoluir para um quadro grave de depressão? Quando uma crise de pânico repentina, ou seja, sem motivo, acontece, é recomendado buscar ajuda de um especialista imediatamente, pois esse contexto pode voltar a acontecer em diversas situações da vida e futuramente progredir para casos graves onde a pessoa não consegue sair de casa.  

O que é a Síndrome do Pânico?

A síndrome do pânico é um dos transtornos de ansiedade mais comuns entre as pessoas. Esse transtorno acontece, devido a uma ansiedade muito forte, exagerada e repentina. Fisiologicamente, a síndrome do pânico acontece, devido a uma carga excessiva de adrenalina, disparada por um agente do nosso cérebro chamado amídala. É importante entender que, apesar de serem doenças diferentes, é possível ter síndrome do pânico e depressão juntas

É importante frisar que, o pânico, assim como a ansiedade, são reações importantes do nosso corpo, que nos preparam para situações de perigo. Por exemplo, quando você é assaltado, a reação mais comum é entrar em pânico para fugir daquela situação não é mesmo? 

Entretanto, situações comuns como entrar em ambientes fechados e pequenos como um elevador, passar por túneis, ou viajar de avião, por exemplo, não devem ser seguidos de reações tão intensas como o pânico. Nesses casos, é recomendado buscar ajuda de um profissional para entender e tratar o problema.

Quais são os sintomas da Síndrome do Pânico?

Você sabe como identificar a síndrome do pânico? Confira a seguir 5 sintomas mais frequentes nessas situações.

Os sintomas mais comuns de uma síndrome do pânico são: respiração ofegante, coração acelerado ou palpitações, sensação de formigamento pelo corpo, medo de morrer e tonturas ou desmaios. Além disso, dores no peito, sudorese excessiva, tremores, calafrios ou nauseas e desconfortos abdominais, também podem acontecer. Não há uma regra, mas se você sentir pelo menos 5 desses sintomas, provavelmente será um quadro de síndrome do pânico.

Essas reações, tanto fisiológicas como físicas, acontecem porque o organismo acredita que o indivíduo está em perigo, entretanto, esse perigo não existe realmente. 

Os sintomas da síndrome do pânico são muito parecidos com um ataque cardíaco, por isso, a maioria das pessoas, quando sentem esses sintomas, buscam um cardiologista. A dica é, sim, fazer todos os exames, tanto cardiológicos como de sangue para averiguar qual foi a causa dessa crise, porém, se todos os exames estiverem normais, provavelmente você teve uma síndrome do pânico. Nesses casos é recomendado buscar um especialista para receitar o melhor tratamento de acordo com o seu problema.

Como tratar a Síndrome do Pânico?

O tratamento para a síndrome do pânico irá depender do nível e frequência que o transtorno está acontecendo. Existem técnicas mais simples e que você podem ser feitas em casa, como o controle da respiração por exemplo. Controlar a respiração, equilibra os níveis de dióxido de carbono no nosso corpo e diminui os níveis de ansiedade.

Para realizar esse procedimento é muito simples: Inspire o ar durante 4 segundos pelo nariz, segure o ar por 2 segundos e por último, solte o ar durante 6 segundos pela boca. Além de provocar uma sensação de relaxamento no corpo, essa respiração irá diminuir os sintomas de ansiedade e pânico.

Outra dica muito útil, é tentar manter a calma e desviar seu pensamento. Ter pensamentos negativos nessas situações, só irão piorar o quadro, por isso, tente focar em pensamentos positivos ou busque realizar outras atividades para desviar sua atenção.

Praticar exercícios físicos ou alternativos como meditação por exemplo, também ajudam a diminuir esses sintomas e eliminar o quadro. Além de todas as dicas, é recomendado ter um acompanhamento terapêutico em conjunto com essas ações simples. 

O uso de medicação só será necessário em último caso, quando esses tratamentos não conseguem eliminar o problema. Nesses casos, busque sempre um médico antes de administrar qualquer medicamento. O mau uso de medicação ou ainda, o auto diagnóstico podem piorar o caso de síndrome do pânico.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com os amigos e em suas redes sociais. Nos ajude a ajudar mais pessoas através da informação. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *